segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

Ano 2013 em revista

Ao olhar para o meu ano de 2013, não consigo deixar de fazer uma análise introspectiva! O que é que eu posso dizer deste ano? Começo pelo bom ou pelo menos bom? Let´s go...

O bom foi:
- (e espero que continue a ser) ver a evolução de um pequeno ser, toda a sua inocência, toda a sua descoberta em todo o seu esplendor;
- a minha evolução enquanto ser humano, o meu crescimento pessoal, a minha capacidade (ainda pequena)de começar a olhar o mundo de outra forma;
- fazer algumas coisas que me dão realmente prazer (como por exemplo escrever) e que me preenchem e me interessam de tal forma que fico com vontade de me dedicar a cem por cento a elas (não fosse a questão financeira);
- ter saúde;
- reconhecer que a minha família com todos os seus defeitos e qualidades, está acima de tudo;
- conhecer pessoas novas (quer pessoalmente, quer virtualmente) e ter tido a coragem de ir ao encontro do outro e esclarecer assuntos mal resolvidos.

O menos bom foi:
- a precariedade no meu mundo laboral;
- a falta de respeito e consideração pela profissão de professor.

E ao terminar esta análise do meu ano de 2013, acabo de me aperceber que o meu ano foi muito mais positivo do que aquilo que eu imaginava! É hilariante o exercício da escrita, faz-nos reflectir e pensar que não podemos mudar o passado mas podemos, basta querermos, construir um futuro melhor!

Façam vocês também, a vossa análise introspectiva! É um bom exercício! Estamos todos aqui para aprender!

UM FELIZ 2014 PARA TODOS





Teoria Estouvada #17

Muitas vezes, sem querer, chegamos a realidades, que mais valia não as conhecermos! Sim, porque mais tarde ou mais cedo, até pode demorar anos, tudo fica a descoberto, a nú!

E é uma tristeza, uma profunda desilusão, sentir a falta de lealdade, a falta de companheirismo, a falta de honestidade! Mas, de um coisa eu tenho a certeza, a minha consciência está limpa, tranquila!

Por isso, para hoje, aqui fica:

Mais tarde ou mais cedo tudo se sabe!

quarta-feira, 25 de dezembro de 2013

Teoria Estouvada #16

Este minha teoria é fruto da minha experiência. Pois é! É preciso chegar aos trinta e poucos anos (qualquer dia trinta e muitos) para chegar a esta fantástica conclusão:

Todos precisamos uns dos outros!

Mas atenção! Não temos de nos aniquilar, de nos anular uns aos outros! Temos sim, de nos respeitar e  fazer reinar a sinceridade e a honestidade. 

terça-feira, 24 de dezembro de 2013

Mensagem Natalícia da Estouvadita

E porque o que nós queremos é ser felizes, aceitemo-nos uns aos outros como somos e toleremo-nos! Essa é uma das funções de qualquer ser humano nesta vida.

Deixemo-nos de ódio, de rancor, de raiva, de orgulho e vamos ao encontro de quem mais precisa! Deixemo-nos contagiar pela alegria de dar!

Um Feliz e Santo Natal a todos aqueles que passam por aqui, com carinho especial para a Escondida (a minha primeira grande comentadora :-), para a Bruxa Mimi, para a mmm's e para uma anónima especial (top secret) .


Alegria, Compreensão e União é o que se quer!


segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

Pensamento do dia...

E porque muitas vezes magoamos e somos magoados, machucamos e somos machucados, ferimos e somos feridos, deixemos o orgulho de lado e façamos o seguinte:


Nota de rodapé: Tudo isto com alguma moderação, claro!

sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

É com cada resposta...

Eu estava na cama com a Carolina para ela dormir e estava a conversar com ela, algo do género:
- Vamos pedir ao Jesus para isto e para aquilo!
Ao que ela me responde:
- Pede tu, mamã!
E depois disse-lhe:
- Vamos rezar ao Jesus, Carol!
- Mãe, dorme! – responde-me ela.

Livros

A Carolina a pegar num dos livros que tem na estante:
- Mãe, quem são estes livos?
- São teus filha! - respondi eu.
- Compaste para mim?
- Sim, comprei quando eras bebé, muito pequenina!
- Tantos livos, mãe!

quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

Teoria Estouvada #15

Alguém uma vez me disse a seguinte frase:

Nós, alimentamo-nos das desgraças dos outros!

Este conjunto de vocábulos podem parecer desnexados, parvos ou até mesmo sem sentido mas são tão verdade! Porque é que é mais fácil dizermos coitadinho do que nos alegrarmos com a felicidade de alguém?

É estranho isto, mas o que une muitas vezes as pessoas não são coisas boas, são as menos boas! Acho que todos nós, um dia, já sentimos ciúme de alguém! E não foi porque esse alguém estava triste mas sim porque estava feliz e naquele instante desejamos essa felicidade para nós.

Não fazemos por mal, é inevitável, somos pessoas! É estranho isto do sentir, do ser e do viver!

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

As circunstâncias e a empatia

Ultimamente,  tenho dado por mim a pensar que o modo como conhecemos as pessoas faz toda a diferença num relacionamento futuro.

Isto é quando conheço pessoas que sei que têm algum renome, algum gabarito ou ocupam cargos de chefia, a minha abordagem é condicionada por este factor. E tenho a certeza que se tivesse um desconhecimento total, o diálogo fluiria melhor e o meu acanhamento seria menor!

Já me relacionei com pessoas em que o meu ponto de partida sobre elas era zero e mais tarde vim a saber que tinham algum prestígio ou já ocuparam cargos com alguma importância. E a empatia foi de tal ordem que ainda hoje nos comunicamos.

Outra coisa são as situações em que interagimos com as pessoas. Conhecer pessoas num ambiente mais descontraído não é a mesma coisa do que conhecer pessoas num ambiente laboral.

Já conheci pessoas num ambiente descontraído, que apesar de terem um aspecto rígido, formal e uma personalidade muito vincada, as achei espectaculares. Ponho-me a pensar se conhecesse este tipo de pessoas no meu local de trabalho e se fossem lá reclamar ou pedir satisfações relativas a algum assunto. Acho que não ia achar piada nenhuma!

Chego à conclusão que independentemente do lugar que ocupamos no mundo, somos todos pessoas, somos todos seres humanos e temos todos sentimentos! Muito embora não estejamos todos no mesmo grau de evolução e é por isso, que é tão difícil, muitas vezes, aceitar o outro como ele é!

segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

domingo, 15 de dezembro de 2013

Teoria Estouvada #14

Esta, é mesmo o que estou a sentir, neste preciso momento. É com cada virar de costas, é com cada chapada psicológica. Quando se está mal, nunca se pensa, que se pode estar ainda pior!

Por isso cá vai mais uma das minhas filosofias, das minhas charadas, das minhas aprendizagens ao longo da vida!

A vida dá-nos cada lição, que até dói!

Não, não é uma dor física, é uma dor de alma. Um estado de espírito que não encontra plenitude, não encontra paz. Só quem passa por elas é que dá o devido valor! 

Porque é que aprendemos sempre da pior maneira? Se muitas vezes, nos colocássemos no lugar do outro, certamente o mundo seria um sítio melhor para viver!

Limitar, aprisonar, reter....

Detesto sentir que me limitam os meus próprios passos! Que me tirem (ou subtilmente retenham) a minha capacidade de agir e de fazer o que gosto! A sério!

Não gosto de coisas em cima do joelho! Gosto de estipular, planear! Se não partilham os mesmos gostos, os mesmos interesses que eu, pelo menos tenham a frontalidade e a coragem de o dizer. Santa paciência!

sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

Escrever

Escrever para mim sempre foi:

 Uma libertação de sentimentos
 Um grito de emoções
 Um disparar de sensações
 Um resgatar de tormentos

  Um ensinamento diário
  Um desejo forte de saber
  Uma vontade de conhecer
  Um sair do armário

 Uma vontade de transmitir
 Um querer ser melhor
 Um atenuar de dor
 Um desejo de sorrir

Uma alegria partilhar
Uma vontade de rir
Uma lágrima que teima em cair
Uma desilusão desabafar...

Bicicleta

Os avós querem oferecer à piquena uma bicicleta! Estávamos todos na sala a falar sobre bicicletas e o preço delas e onde encontrar umas giras e baratas.

A Carolina que estava a brincar com as bonecas a dada altura disse para o avô:
- O avô, também quéo uma!
E nós intrigados, perguntámos logo:
- Uma quê, Carolina?
- Uma biciqueta, avô!

quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

Flutuar...

E porque ando uma sentimentalóide e vi esta música no face de uma amiga vou partilhar convosco. Oiçam, vale a pena!


Nelson Mandela e o perdão

Esta temática é para todos nós um tanto ou quanto difícil, mas como estamos em época natalícia resolvi escrever sobre o perdão...

E pergunto eu: quem é que nunca foi humilhado, traído, recebeu de alguém que considerava amigo, ingratidão e indiferença? E naquele momento sentiu-se desprezado, humilhado, um ser insignificante à face da Terra? Ou até mesmo as quezílias que existem entre as famílias, sangue do próprio sangue?

E conseguir perdoar? Até porque não somos perfeitos, porque também erramos... É difícil, sim eu sei, mas não é impossível.

Por vezes o tempo pode apaziguar muitas amarguras, muitos ressentimentos, mas se os mal-entendidos permanecerem, não forem clarificados, desgastam-nos, criam desarmonia, a animosidade vai crescendo, tomando proporções de ódio.

E o ódio é um sentimento tão poderoso, que pode ser mais fatal que uma guerra. Por isso, enquanto andarmos por cá, o melhor é clarificar as coisas, pedir perdão se necessário e não deixar arrastar sentimentos nefastos.

Vamos, neste época natalícia, perdoar ou tentar perdoar alguém que nos magoou, sem apontar o dedo, sem cobranças porque só alcançamos a plenitude e a paz de espírito se o fizermos.

E como não podia deixar de ser, tenho que mencionar esse grande homem, Nelson Mandela, que esteve preso durante vinte e sete anos! Vinte e sete anos! Vinte e sete anos da sua vida jogada fora! E quando saiu não se vingou daqueles que injustamente o colocaram lá! Existe maior exemplo de perdão que este?

Um homem que lutou ardentemente pela paz, pela igualdade, pela liberdade! Sem dúvida, um ser humano extraordinário que será recordado ao longo de gerações e gerações porque a sua mensagem foi de harmonia, de tolerância e compreensão entre os povos. Um ser humano absolutamente excepcional que nos deu uma grande lição de vida!

quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

Primeiros Mimos Natalícios

Andei à procura de umas botas pretas baixinhas mas não resisti quando olhei para estas, que ainda por cima estavam em promoção na seaside. Também existe em preto, só que já não tinha o meu tamanho!

 Agora tenho que encontrar uma indumentária que condiga com estas botas giras!

terça-feira, 10 de dezembro de 2013

Mito do Sebastianismo

Estamos sempre à espera que ele venha, que alguma coisa de bom aconteça, isto é que os nossos problemas/dificuldades da vida se resolvam por si só. O pior é que a vida real não é uma lenda, não é um mito!

A esperança existe e é preciso ter força para não a perder! Não é nada fácil viver assim. Avanços, recuos, avanços, recuos, volta ao ponto de partida e nada... Ele não vem. Não acontece o esperado. Realmente, é desanimador! 

Depois é constatar o óbvio, continuar a caminhada, redobrar as forças e acreditar...

segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

Teoria Estouvada #13

Isto é uma constatação minha e pela qual também passo, ou seja, também a faço! Não sei se é bem uma teoria ou uma pergunta de retórica.

Nós nunca estamos bem com o que temos!


Sim! E estou a falar de vários aspectos. Isto pode ser em termos físicos, relacionado com a nossa própria imagem, ou em termos materiais relacionado com tudo o que possuímos. Pode ser ainda relacionado com a nossa família própria família ou com o momento actual que estamos a viver.

Nada disto podemos mudar! A única coisa que sei que podemos e devemos mudar é a nossa atitude perante a vida. Mas, não é uma tarefa fácil! Somos seres errantes, é o que somos...

sábado, 7 de dezembro de 2013

Braços da Minha Mãe

Dizem que o Pedro Abrunhosa não é um grande cantor, ele próprio o admite, mas não sei porquê as músicas dele tocam-me sempre de uma maneira muito forte.

Esta fez-me lembrar a minha mãe, que está sempre lá, para o bem e para o mal e deu-me tamanha nostalgia ao recordar todos aqueles que partem para outros países, pois não tiveram outra opção, deixando um pedaço deles para trás. A distância mexe comigo...

Ora oiçam:


Que chato! Não consigo colocar aqui o videoclip, que é tão sentimental! Por isso, oiçam bem com atenção!

Teoria Estouvada #12

À medida que vamos "crescendo" e experienciando diferentes situações na vida, apercebemo-nos que não somos perfeitos, que também erramos e acontece o mesmo com os que nos rodeiam. 

E acho que todos nós, de uma maneira mais ou menos consciente nos apercebemos disso. E hoje só me consigo lembrar disto:

Nós, somos os espelhos, das nossas atitudes!

sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

Possíveis Mimos

Este ano ando numa de querer umas botas baixinhas (desejos de gajita). Não é que não goste de botas altas, mas andar a correr atrás de um pirralho piquenino, com saltos altos não é nada fácil! Cada vez mais umas botas rasas são a melhor opção.

Botas que ando a namorar (ou se encontrar algo equivalente a preço mais acessível). Adorei estas!
Digam lá que não são lindas! Mas noutros tempos teria escolhido as seguintes:
Que também fazem o meu género! Pronto, para este Natal queria algo assim, com brilho. Não gosto de calçado preto com  uma cor esbatida, gasta, sem um toque especial! São ambas do Zara!

Este ano também queria uma mini-saia, que está tão na berra! Mas não sei... Deixo um exemplo, de uma possível escolha minha...


Adoro mesmo esta mistura de tecidos! Aí, que vontadinha de ir às compras...

quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

Os cinco maiores arrependimentos

Uma enfermeira que trabalhou nos cuidados paliativos foi registando os maiores arrependimentos que as pessoas demonstravam na hora da sua morte.

Esta enfermeira, que eu não sei o nome (é pena), referiu que as pessoas quando confrontadas com a morte, crescem e evoluem de uma forma galopante, isto do ponto de vista pessoal. É como se fizessem um revisão de toda a sua vida.

Então, os cinco maiores arrependimentos são:

1) Gostaria de ter tido coragem de ter vivido a vida que queria e não a que os outros quiseram para mim.
Quantas vezes nós tomamos decisões e não são as que queremos, mas o que os outros querem que nos façamos? Quantas vezes abandonamos os nossos sonhos, só porque é mais sensato? E lá no nosso íntimo nos sentimos mal por isso?

2) Gostaria de não ter trabalhado tanto.
Quantos de nós vivem focados no trabalho e esquecemo-nos de coisas tão simples como conviver ou fazer um telefonema a quem mais precisa? Ou mesmo de dar apoio aos nossos familiares? Ou até nos esquecemos de nós próprios...

3) Gostaria de ter tido coragem de expressar os meus sentimentos.
Quantas palavras ficam por dizer? Quantos ressentimentos, quantas amarguras ficam entaladas no nosso íntimo? Quantas vezes nos falta a honestidade e a sinceridade para expressarmos o que gostamos e o que não gostamos em relação ao outro?

4) Gostaria de ter mantido contacto com os meus amigos.
Quantas vezes nos lembramos daqueles que passaram nas nossas vidas e por estarem longe ou mesmo por  inércia nossa deixamos de ter contacto com eles?

5) Gostaria de me ter deixado ser feliz.
Esta para mim é a que me toca mais, isto porque vivemos stressados, ansiosos como futuro e esquecemo-nos de viver o presente, o momento em si... Esquecemo-nos de ser felizes!

Digam lá se isto não dá que pensar?

"A vida é uma escolha. É a sua vida! Escolha conscientemente, escolha sabiamente, escolha honestamente. Escolha a felicidade!"

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Filhos e Enteados

Ainda não tinha tido tempo para me pronunciar sobre esta pomposa e hilariante Prova de Avaliação de Conhecimentos e Capacidades para Professores, a qual por ter mais de cinco anos de serviço, fiquei para já dispensada de a fazer.

O que não me entra na cabeça é que colegas meus, que frequentaram a mesma universidade, tiveram os mesmos professores, estudaram pelos mesmos livros, fizeram os mesmo exames que eu, mas azar do caraças, não têm cinco anos de serviço, logo são menos professores do que eu!

A sério, quando soube da notícia fiquei contente por mim (apesar de não me resolver o meu problema) mas triste por todos os outros. Obviamente, e já aqui o disse, que bons e maus profissionais existem em todas as profissões e vão continuar a haver!

O facto de isto ir avante, é uma excepção que se abre, é uma brecha que se cria, é um precedente que pode servir de mote a muitas outras coisas que por aí vêem. É um claro dividir para reinar! Continua a existir e a criar-se desconfiança nas instituições de ensino e a quem dá a cara por elas todos os dias.

Aos poucos e poucos, caminhamos suavemente para uma ditadura, é paulatinamente, sem darmos por ela. O Ministério da Educação não podia dar-se ao luxo de perder esta guerra e quando se vai para uma mesa negocial é mesmo isto que acontece, uma troca! E claro, há sempre aqueles que são prejudicados.

É caso para dizer: Uns são filhos, outros enteados!

terça-feira, 3 de dezembro de 2013

Palavras de Apoio

Tenho andado um pouco distanciada deste espaço mas prometo voltar à carga em breve!

Hoje, apenas vou contar uma história da piquena. Para quem não sabe a piquena é a minha filha de dois anos e meio!

No infantário, um coleguita dela estava a chorar porque não conseguia calçar os sapatos. A piquena foi ter com ele e disse-lhe:
- Vá lá Migueu, tu consegues! Tu consegues! Força!

(Opsssss! Onde é que eu já ouvi isto? Eles apanham tudo...)

sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Outra vez a dita...

O meu espaço de escrito anda um pouquito desmazelado. As actualizações não têm sido diárias talvez pela melancolia que se apoderou de mim e toda este estado social conflituoso e de miséria em que se encontra o País. Não consigo escrever coisas bonitas e alegres.

Vou aqui dizer que, contra minha vontade, me inscrevi na dita prova de avaliação de conhecimentos e capacidades dos professores. Mas sinceramente, não sei o que farei no próprio dia, tamanha é a minha revolta... Embora saiba que a opinião pública está maioritariamente contra nós, não é com provas deste tipo que se vão aferir os bons profissionais do ensino.

Meus caros, os bons professores topam-se ao longe. Qualquer pai consciente sabe dizer se o filho tem bons ou maus professores. Basta fazer umas quantas perguntas ao filho, estar atento ao seu dia-a-dia. Somos constantemente avaliados por todos os que nos rodeiam quando estamos no contexto escolar.

Ponham toda a gente a fazer provas destas e depois digam alguma coisa... Isto não se faz a pessoas que dedicaram uma vida ao ensino. E digo, estou tão farta de ser enxovalhada que se me aparecer uma oportunidade fora da área, nem pestanejo...

Hão-de querer professores e não os hão-de ter! Tenho dito...

terça-feira, 26 de novembro de 2013

Algumas fotos do evento Manz

Como não podia deixar de ser, fui dar uma espreitadela a este evento desportivo, de renome internacional. Foi apenas um cheirinho mas tive imensas saudades do "tempo das vacas gordas" em que ia com grande frequência a ginásios e experimentava de tudo um pouco.

Era o ritmo, era o movimento, era a música, era a dança, era a loucura, era o querer fazer mais e melhor! Era o culto da mente sã em corpo são. Talvez por isso, agora,  o meu tico eo meu teco andem a bater mal... Adiante...

Deixo-vos apenas umas fotos do Circus Manz. Foi muito divertido! No fundo, uma demonstração engraçada das novas modalidades, tudo a um ritmo alucinante! Até tive vontade de ir para lá saltar com eles!

Houve de tudo um pouco: porcos musculados, mulheres com quatro pernas, gente do público hipnotizada e a dançar freneticamente, muito ritmo, muita dança, alegria e boa-disposição...










Quanto à roupinha desportiva que por lá se vendia, havia muito para escolher e a preços razoáveis. Mas o expositor que se destacava era o da Susana Gateiro, sempre em grande estilo. Não cheguei sequer a ver os preços, tamanha era a confusão e a quantidade de gente "à luta" por uns trapinhos. Fica para a próxima....

Já me esquecia! A minha miúda adorou o espectáculo e quando acabou começou a chorar porque queria mais música... 



sexta-feira, 22 de novembro de 2013

Deixo a Publicidade...


Convenção Fitness Manz

E onde é que se vai realizar a maior convenção de fitness da Europa? É em Lisboa? É no Porto?

Nãooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo!

É em Aveiro! Vinte anos de convenção fitness, um verdadeiro sucesso! Sempre que lá fui, adorei! Roupa desportiva a preços mais acessíveis, aulas de novas modalidades, gente a pavonear-se com roupa reduzida mostrando o estado excelente do seu corpo! Aí que inveja! Etc... É muito giro este evento, quase como um chamamento ao exercício físico!

quinta-feira, 21 de novembro de 2013

Aí, aí, que confusão

E hoje, só me consigo lembrar disto, até porque ando farta de ouvir esta frase, que muito diz de nós e dos outros. É um efeito bola de neve. Não, não é da minha autoria, nem sei se tem um autor específico. Então, para reflectirmos todos um pouco:

Comportamento gera Comportamento

quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Máquina Governativa a todo o vapor

Lá vou eu falar da classe a que (ainda acho que) pertenço e dos senhores políticos. Não gosto de me pronunciar sobre isto nas redes sociais até porque vem logo alguém criticar, chatear ou mesmo ofender.

Ora bem, a máquina governativa trabalha a todo o vapor para denegrir os professores, para os colocar uns contra os outros numa altura em que o seu foco deviam ser os alunos! Queridos Pais, como acham que andam os professores dos vossos filhos com toda esta enxurrada? Quem vai pagar a factura?

Meus caros, todos nós vamos pagar e bem caro! Não posso criticar quem não quer fazer a prova de avaliação de conhecimentos, quem apela para não se inscreverem. Afinal, já todos fomos avaliados: curso, estágio, avaliações,etc...  Mas também não posso criticar quem se vê obrigado a fazê-lo, ainda que contra a sua vontade, pois paira o medo das represálias, a angústia instalada, um clima de terror. É um luta desenfreada pelo (possível) emprego.

Estamos a viver num circo de feras, absolutamente louco e desproporcionado, que só desgasta e desmotiva, que só humilha, que só deturpa... Enquanto todos nós, professores, andamos nesta aflição e com um grande sentimento de injustiça e revolta, a máquina governativa lá anda a todo o vapor a divertir-se com a sua própria desumanidade. Somos uns autênticos bonecos nas mãos deste circo!

Porque é que nós temos de ser sempre o bode expiatório? Deixem-nos em paz! Senhores Políticos deixem-se de tretas e de manobras de diversão e trabalhem naquilo que é verdadeiramente importante para o País! Mexam nas parcerias público privadas, nas fundações, nos observatórios, nos grupos de trabalho que criam para fazer um estudo durante sete anos sobre animais de estimação que afinal não deu em nada, na redução de deputados na assembleia da república, etc... Ah, isso é mexer demais nos vossos próprios lobbies, não é verdade?

Tormentos

Com tanta coisa nesta minha cabecinha e tudo o que se está a passar à minha volta, não sei se ria ou se chore! Mas abate-se sobre mim uma nostalgia, uma desmotivação, um baixar os braços, que é dose! Estou a fazer um esforço tremendo para não ir abaixo, para não me deixar levar por estes sentimentos nefastos! Chiça, porque é que ninguém me avisou que esta coisa de viver era mesmo complicada? Um tremendo sobressalto a cada dia que passa! I'm feeling very said!

segunda-feira, 18 de novembro de 2013

Viva a burocracia e a simpatia!

Vivemos realmente num País em que lideram os papéis. E quando se pensa que todo processo da papelada está concluído, eís que por milagre, pedem sempre mais um! Sim, eu sei que não foi por mal até pode ser uma ajuda! Mas caramba é preciso comprovar tudo o que escrevemos quando está tudo à distância de um clic! Coitadinhas das árvores! Detesto gastar papel assim de forma indiscriminada!

Agora a simpatia! Há uns valentes anos que não me deslocava a uma determinada instituição! E não é que algumas senhoras destes serviços públicos continuam igualmente simpáticas! Existem pessoas que não dão mesmo valor ao que têm! É preciso responder de forma antipática e arregalar os olhos mediante uma pergunta meramente informativa! Ou eu, quando me dirijo a um serviço tenho de conhecer à partida toda a logística! A sério, avaliava-as logo com nota negativa! É por essas e por outras que os serviços públicos têm vindo a perder tantos direitos! 

Obviamente que existem excepções e muitas! Valha-nos isso! E quem me atendeu de seguida foi bem atencioso e simpático!  Por isso em qualquer profissão do mundo, há bons e maus profissionais. É preciso é reconhecer e valorizar os bons... Fica apenas o desabafo!

sexta-feira, 15 de novembro de 2013

Alguém se lembra disto? #31

Olá a todos! Esta rubrica anda um bocado caótica! É como a "dona" ! Mas pronto lá me vou redimindo e hoje deixo-vos aqui uma recordação de mais uma daquelas colecções, que a malta fazia nos anos 80 e não só!

Neste caso, a foto foi tirada da net! Lembro-me que o meu irmão fazia colecção disto e elas estavam todas empoleiradas no guarda-vestidos dele mas quando se casou, azar! Pegamos naquilo tudo e colocámos com fios na traseira do seu automóvel! Mal sabia eu, que agora me ia fazer falta para o meu querido blogue!

Já conseguiram adivinhar do que estou a falar? Pois é, estou a falar da colecção de latas:

(imagem retirada da net)

Alguém fez colecção de latas? Ou por acaso alguém ainda as tem? Adorava colocar fotos genuínas de colecção de latas aqui no blogue... Se alguém quiser partilhar comigo as suas fotos de colecções de latas, por favor, enviar para o meu e-mail! Merci!

Vida Louca

Na vida, muitas vezes sentimos, que ela está a passar por nós a um ritmo alucinante e se não temos a pestana aberta, as oportunidades passam por nós e zás... Perdemo-las ou alguém as aproveita! Mas porque é que quando aparecem, vá lá, possíveis oportunidades, aparecem todas ao mesmo tempo! É caso para dizer: mantém o olho aberto, senão já foste!

Sou uma pessoa que gosto de ponderar, gosto de analisar os prós e os contras mas não, não há tempo para isso...

É pegar ou largar... 
É correr, ir atrás... 
É não dormir... 
É passar a noite em claro...
 É sentir-se desorientado... 
É agir rápido... 
É estar no lugar certo à hora certa... 
É sobressair no meio da multidão... 
É mostrar o que vales através de um mísero papel... 
É ser criativo... 
É não perder a esperança...
É confiar...
É acreditar...
É lutar...
É a vida louca!

quarta-feira, 13 de novembro de 2013

Pode ser na porta ao lado

Tu
Que andas por aí
Caminhas apressado na estrada
Nem reparas em quem passa por ti

Tu
Que vives atarefado
Que há muito não olhas nos olhos de alguém
Não vês a angústia
Não vês a pobreza
Não vês a miséria
Não vês a fome
Não vês desalento
Não vês que precisam de ti

Sim!
Porque tudo isto...
Pode acontecer...
Na porta ao lado!

terça-feira, 12 de novembro de 2013

O que são Laços?

Laços
São sangue
São hereditariedade
São amparos
São emoções
São lágrimas
São alegrias
São forças
São virtudes
São consolos
Laços
São família

Laços
São convívios
São gargalhadas
São cumplicidades
São conversas
São desabafos
São ajudas
São pessoas
São humildade
São sinceridade
São palavras
Laços
São amigos


segunda-feira, 11 de novembro de 2013

Será?

Hoje só me consigo lembrar disto:

Nunca é tarde para recomeçar de novo!

E pergunto a mim mesma: será? Será que, se for necessário, terei forças para recomeçar tudo de novo! Deixar os meus laços para trás e ir à aventura? 

sábado, 9 de novembro de 2013

Bom, bom

Bom, bom é acordar às 8h 30 da matina de sábado com o barulho de  marteladas nas paredes (parece que o vizinho madrugou e resolveu arranjar umas coisitas) e o carro vassoura a limpar as ruas cá do sítio. Aí que nervos!

sexta-feira, 8 de novembro de 2013

Para Professores Contratados

Para todos os professores contratados (e não só) que visitam o meu blogue!

No caso da prova de avaliação de conhecimentos ir para à frente, deixo aqui um link de modelos de provas que se fazem nos Estados Unidos da América.

Estes iluminados têm de ir buscar exemplos/modelos a algum lado! É claro que a ideia não é deles, aproveitam a de outro país qualquer e implementam-na cá! Até porque a nossa realidade é idêntica à de qualquer país, isto é adapta-se!

Desculpem a ironia! Mas é mais forte do que eu... Só para imaginarem o que nos pode esperar...

quinta-feira, 7 de novembro de 2013

Mais uma peripécia da miúda

Para desanuviar!
A Carolina anda numa fase de basculhar tudo. É a fase da descoberta! Ontem descobriu uma série de malas minhas! O que é que ela fez? Como uma "gajita" que se preze andou a experimentá-las todas! Deixei-a andar sem dizer nada! Passado algum tempo vem ter comigo de mala em punho e colar ao pescoço e diz:
- Mãe vou à fêta! Xau!

Tudo em catadupla

Este Outono está a ser um pouco devastador, na minha família foi mais uma folha que caiu, assim de um momento para o outro, a irmã mais nova do meu pai!

O meu pai que sempre foi um homem rijo e duro, era vê-lo comovido e transtornado. Algo inédito para mim! Fiquei assustada! Não me imagino a perder os meus pais!

Depois vem aí a prova de avaliação de conhecimentos para docentes! Uma verdadeira aberração! Mas eu andei cinco anos na universidade para quê? Para me humilharem e enxovalharem desta forma! E os nove anos de ensino que tenho? E os alunos que passaram por mim? Até agora fui só um tapa buracos?

Neste momento não consigo tecer mais um comentário que seja, tamanha é a minha revolta!

terça-feira, 5 de novembro de 2013

Retomar velhos hábitos

Existe mesmo um ciclo nas nossas vidas! Há uns anos atrás adorava ler à noite até às tantas! Já não o fazia à diversos anos por motivos profissionais e pessoais.

Agora, que tenha um pouco mais de tempo e devido à minha instabilidade profissional e depois da piquena ter saído do quarto dos papás, voltei a ler à noite. Nem que seja uma ou duas páginas. Sabe mesmo bem!
E quando engreno na leitura não me apetece mesmo parar! É viciante!

Acaba por ser engraçado! Para mal de umas coisas, bem de outras! Não se pode ter tudo, não é verdade?

sábado, 2 de novembro de 2013

Tudo acaba... Ou não é bem assim...

Desde miúda que toda a envoltura da morte me mete alguma confusão! E isto porquê? Talvez porque na fase da adolescência tive que lidar com a morte de uma prima chegada e claro do meu avô, o único avô que tive.

Desde esse tempo que eu era incapaz de me aproximar de alguém num funeral e fazer todo aquele procedimento protocolar (dar os sentimentos, digamos). E impensável para mim, também era ver o defunto. Quase nem entrava na igreja nessa ocasião. Fugia completamente disto tudo, principalmente quando eram pessoas próximas de mim, de amigos ou familiares meus.

No entanto toda esta minha concepção da morte tem mudado porque começo a acreditar que todos nós viemos a este mundo com um propósito e a morte é apenas um adeus. O corpo fica mas o espírito vai! Não morre! Ou seja vai para outro mundo!

Se a pessoa querida que morre vai para um mundo melhor, isso deixa-me muito mais tranquila e consolada! Isto é encarar a morte como mais uma passagem! Uma viragem na vida de alguém! Algo que tem de acontecer para nossa própria evolução, porque as nossas acções presentes vão reflectir-se no futuro!

Alguém se lembra disto? #30

Não era para por este, mas sim, uma continuação da lista telefónica anterior! Não houve oportunidade para fotos portanto cá vai mais um elemento de poupança!

Eu juro que não me lembro nada disto, mas alguém encontrou e se lembrou desta "pequena caixa" de arrecadar moedas e não só! Tenho até dúvidas se será dos anos oitenta. Cá para mim é algo anterior aos anos oitenta!

Alguém se lembra do mealheiro do Montepio? Alguém por estas bandas teve algum? São da colheita de oitenta, do antes ou do depois? Ou será algo que escapou à minha pequena existência? Andaria eu demasiado ocupada com outros assuntos...




sexta-feira, 1 de novembro de 2013

Sexta-Feira 13

Não é! 
Mas para mim até parece! 
Tudo me caí em cima!
Minha nossa! 
Há dia em que mais vale enfiar a cabeça debaixo dos cobertores e não sair de lá!
Preciso mesmo é de relaxar!!!

quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Teoria Estouvada #11

A maioria de nós, reclama da vida, passa a vida a dizer que não está satisfeito e quando passa por algo mais complicado, diz que é muito difícil, doloroso, que não aguenta. Mas qual a nossa definição de difícil, doloroso? E difícil comparado com o quê?

Se olharmos para o nosso lado existe sempre alguém pior, muito pior. Nós só sabemos olhar para os que estão melhor, pelo menos aparentemente. Temos de ver sempre o lado bom das coisas! Por isso:

A facilidade e a dificuldade estão na nossa cabeça!

A nossa caixa pensante é que nos comanda. Tudo depende da maneira como encaramos as coisas!

quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Como chatear os mais pequenos

- Carolina, gostas da mamã?
- Sim.
- E do papá?
- Sim.
-E do avô X?
- Sim
- E da avó X?
- Sim.
- E do avô Y?
- Sim
- E da avó Y?
- Sim
- E da tia?
- Sim.
- E do padrinho?
- Sim.
E continuei por aí adiante... A dada altura, a piquena olha para mim, já com um arzito de chateada,  revira os olhos e responde bem alto:
- Gosto de todos, mamã! Gosto de todos!

terça-feira, 29 de outubro de 2013

Pensamentos sobre a morte

Vou vos deixar aqui uns pequeno texto sobre a morte, retirado do livro "Minutos de Sabedoria" que me veio parar às mãos por um mero acaso.

O mais engraçado é que foi a minha piquena que o abriu nesta página uma hora antes de eu ir a um funeral. Então cá vai, para reflectirmos todos um pouco:

"A morte não existe!
O que se dá é apenas uma transformação na nossa maneira de ser.
Não espere que, depois desta, exista outra vida. Não!
A vida é a mesma.
A vida eterna já está sendo vivida por todos nós.
Depois da morte, continuamos a ser o que já somos.
Portanto, procure ser AGORA, antes da morte, aquilo que você deseja continuar a ser depois da morte.
Porque a morte não existe!"

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Teoria Estouvada #10

Eu ando para aqui a reclamar da vida e parece que isto é cada vez pior. Caramba, que semana alucinante, que fim de semana desgastante!

Foi como se tivesse tido um encontro com a morte, não a minha, mas ter de lidar com a morte de alguém relativamente próximo e querido! Sobre a minha capacidade de lidar com a morte falarei/escreverei mais para a frente. Foi duro mas ao encarar a morte como uma passagem, acaba por não ser tão doloroso.

Arrepiou-me o facto de na cerimónia fúnebre, os sacerdotes terem dito que a morte não existe, que nós não acabamos ali! Todo um discurso transcendental e espiritual! E na minha mais humilde opinião existe um fundo de verdade nisto tudo!

Por isso a teoria que vos traga hoje aqui é que:

Existe um linha muito ténue entre o mundo terreno e espiritual!

Os verbos na linguagem dos mais pequenos

- Carolina já fizeste xixi?
- Sim já fizei, mamã!

Outra ainda:
- Carolina, sabes abrir isso?
- Sim, sabo!

Aí, não há nada melhor que estas singelas inocências!

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

É preciso...

É preciso é ter calma, não dar o corpo pela alma! Hoje só me consigo lembrar desta música de Pedro Abrunhosa! Quando tudo à minha volta parece um caos (pronto, tenho que admitir que também não é assim tão mau, há coisas piores), já só tenho vontade de rir!

Até parece de propósito! Serão as provações da vida pela qual temos de passar para atingir a plenitude? Se for, que assim seja! No fundo tudo há-de passar e o sol voltará a brilhar, assim espero!

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

Um dia...

Um dia demasiado atribulado, com muitos contratempos para escrever o que quer que seja. Apenas posso dizer: mau tempo+ doenças= coisas chatas e desagradáveis! Lá se vai a gestão e o planeamento do tempo. É a vida!

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Alguém se lembra disto? #29

Para não variar, ando com esta rubrica um bocado esquecida e a não cumprir "os prazos".  Então cá vai mais uma lembrançazita.

Alguém se lembra de um livro enorme, cheio de páginas fininhas, muito frágeis, carregados de nomes e números de telefone? E no fim, tinha uma série de publicidade, nas chamadas páginas amarelas? Sim, estou a falar das listas telefónicas.

Alguém fazia alguma malandrice com isso? No meu tempo de adolescente e claro, como não havia telemóveis, quando queria saber o número de telefone de algum rapaz giro da escola, ia pelo apelido dele e localidade e lá descobria! Enfim, coisas que se faziam nos tempos do antigamente.

Aí, como se sinto velha! Não gosto mesmo da palavra velha! Como é que hei-de dizer! Como se sinto experiente! Ahhhhhhh! Acho que fica melhor!

Contei-me tudo sobre as aventuras com as listas telefónicas! E como acabaram com elas. No meu caso, algumas serviram para fazer papel reciclado com os alunos. Esta que vos mostro aqui encontrei-a abandonada em casa alheia. As coisas que se encontram com um olhar mais atento!






terça-feira, 22 de outubro de 2013

Fura Formações

Resolvi por estes dias frequentar uma daquelas acções de formação financiadas, basicamente pagam-nos um valor simbólico para lá estarmos. E fiquei arrepiada!

Basicamente pela heterogeneidade de pessoas, isto é pela variedade de profissões e de idades, que se encontram em situações precárias no mundo laboral. Foi aqui que tive noção de que isto está mesmo de mal a pior. Pessoas, inclusivé, que até já foram empresários. E vê-se pela sua maneira de ser e estar que têm imensas capacidades, que estão neste momento subaproveitadas.

Outra coisa que me deixou boquiaberta foi o saber que algumas daquelas pessoas frequentam uma série de formações, manhã, tarde e noite! Por isso, lembrei-me logo da expressão Fura-Formações devido ao filme intitulado "Fura Casamentos" e até me ri sozinha com isto. Mas o caso não é para rir porque algumas daquelas pessoas que ali estão dependem deste dinheirito para sua própria sobrevivência! Bolas!

O factor positivo é que independentemente do teor da formação, aprendemos sempre alguma coisa, partilhamos e ouvimos experiências. Eu nunca pensei que o País chegasse a este ponto! E pelo que vou vendo e ouvindo não se avizinha nada de bom! Isto é uma massacre, um atentado ao povo português, à classe média e baixa. (Se é que ainda existe classe média!)

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Beijos na...

A Carolina, um dia destes para mim:
- Mãe, dá-me beijos na bôta! - a aproximar-se de mim.
- Não filha, não! Estás doente! - disse-lhe eu a fugir dela.
Responde-me ela, já um bocado chateada:
- Ó mãe, mas tu dás beijos na bôta ao pai!

Teoria Estouvada #9

Esta é uma frase simples, talvez muito batida, muito saída da boca das pessoas, aquelas que têm carradas de optimismo (ou otimismo, lá estou eu com as indecisões relativas ao acordo, se está para ser debatido no parlamento, vou manter-me fiel à  "antiga escrita").

Continuando, é uma frase que dita da boca para fora não faz sentido nenhum. São meras palavras ao vento, ao sol, à chuva, ao sabor das intempéries. Mas se a conseguirmos colocar em prática, isto é conseguirmos ter uma visão diferente das situações, como se saíssemos delas e voltássemos a entrar, a nossa lucidez aumenta e eles tornam-se menos dolosos para nós. Por isso: 

Os problemas existem para serem resolvidos!

sexta-feira, 18 de outubro de 2013

Acordo Ortográfico

Já por aqui disse, que no blogue ia escrever à moda antiga, seria uma espécie de pessoa anti-acordo ortográfico. No entanto torna-se difícil, uma vez que estando ligada ao ensino, ainda que indiretamente, os alunos escrevem da nova maneira, são uma espécie pós-acordo ortográfico, por isso, vou passar a adotar o novo acordo.

Se cometer incoerências, por favor avisem-me. Não levo nada a mal uma crítica ou correção desde que seja para o meu crescimento intelectual e pessoal.

Uma boa sexta-feira a todos! Em especial para aqueles que me visitam diariamente, aqueles que me espreitam de vez em quando e aqueles novos que vão aparecendo e com os seus comentários vão dando um novo brilho ao blogue!

quinta-feira, 17 de outubro de 2013

E elas chegaram...

Sim, chegaram manhosas, bem camufladas e com pézinhos de lã! Chegaram as viroses e com elas a indisposição da pequena, as febres altas e as noites mal dormidas! Já nem posso vê-las! Verão volta, por favor!

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Estranha Sensação

Mas porque é que ando com este feeling? Sinto que esta tudo a andar à velocidade da luz. O tempo urge para fazer tudo aquilo que quero. Tento definir prioridades mas lá aparece outra coisa e pumba, planos alterados. Bolas, daqui ao Natal vai ser um saltinho e eu com a cabeça a mil!

terça-feira, 15 de outubro de 2013

Factor X

Isto ainda são rescaldos do fim de semana. Já tinha dado uma espreitadela ao programa na semana passada mas não liguei grande coisa. Este domingo, a história foi outra. Fiquei de tal maneira presa ao programa que queria ver mais e mais.

E isto porquê? Porque me emocionei várias vezes com as pessoas, as suas histórias de vida e independentemente da idade, não desistirem de lutar por um sonho, que neste caso específico é o de cantar. Depois foi a alma e a dedicação com que cantavam. Via-se que aquilo vinha de dentro! Se aquilo mexeu comigo que estava sentadinha no sofá, imagino lá ao vivo. Acho que é um programa que vou gostar!

segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Tralhas e mais tralhas

Já viram por aqui que sou gajita de guardar muita tralhada mas descobri por este fim de semana que casei com um gajito que ainda é  pior que eu.

No sábado foi dia de acartar tralhas do marido de casa dos Sogros. Minha nossa, não é que o rapaz além de guardar tralhas ainda guarda as respectivas caixas! Aquilo eram caixas de carrinhos, de perfumes, de componentes de computador, de esferográficas, de tudo...

Estão a ver o filme! Metade das coisas, entenda-se caixas, foram parar ao lixo! Ainda não sei onde vou arranjar espaço para tanta bugiganga! Mas com um bocado de boa vontade e paciência tudo se arranja. Afinal, também sou um pouco assim... Quando dois tralhas se juntam não pode dar boa coisa!

domingo, 13 de outubro de 2013

Corridas e mais corridas

Tenho andado caladinha com esta coisa do correr mas apesar de pouco, tenho feito alguma coisa. E depois de se começar a correr o bichinho fica lá.

A sério, não sou nenhuma atleta , nem pouco mais ou menos, há um ano atrás acho que nem corria, nem cinco minutos. Também por falta de oportunidade não tenho ido a iniciativas como o Aveiro Night Runners, que pelo que sei tem sido um sucesso!

Mas ontem o bichinho da corrida apareceu, estava mesmo a precisar de sentir aquele cansaço físico, de sentir a água a escorrer pelo corpo, de aliviar o stress.

E fui! Corri uns simples cinco quilómetros! Soube-me pela vida! Aliviei o stress, fiquei mais leve e descontraída e dormi que nem um anjinho! Só sei que tenho de o fazer mais vezes apesar dos dias começarem a ficar mais pequenos, cinzentos e também devido à falta de tempo É mesmo viciante!

sexta-feira, 11 de outubro de 2013

E é sempre a crescer...

Eu sou uma mulher maravilhada com esta coisa chamada maternidade, com este ser que jamais se descolará de mim. É a força do cordão umbilical!

Mas vamos ao que interessa! Existem várias teorias sobre a saída dos miúdos do quarto dos Pais. Uns dizem que se deve fazer o mais cedo possível, para se tornarem mais autónomos, outros dizem que não! Enfim, teorias, teorias, teorias...

No caso da minha filha, como foi um bebé muito chorão e de sono atribulado, a pediatra aconselhou a não tirar do quarto! Disse até que ela podia ficar com traumas relativos ao abandono! E eu como mãe galinha que sou, lá cumpri à risca a directiva. Bolas, não vá o diabo tecê-las!

Mas na minha mais humilde opinião: é quando tiver de ser! Existe uma ordem natural para tudo! E cada caso é um caso. A minha pequena há muito tempo que andava a stressar na cama de grades, a miúda remexia-se para um lado, remexia-se para outro, grunhia, acordava transpirada...

Foi então que esta semana decidi que a ia colocar a dormir no quarto dela com uma cama maior, um espaço mais arejado, um ambiente agradável. Claro que ainda se põe aos gritos a meio da noite a chamar pela mãe e lá vai o tinóni (eu) em seu auxílio. É chato, é, mas é para ela se começar a habituar! Para já até faço um balanço positivo da experiência!

Aí, é tão gira esta idade que só me apetece encher a miúda de beijos e abraços! Qualquer dia já vai para a escola! Credo, como o tempo passa!

Alguém se lembra disto? #28

Esta é uma série que fazia as nossas delícias enquanto adolescentes: os amores, as incertezas, a praia, o mar, o calor, o estudo, as festas, a família... Comparo-a com a actual série "Morangos com Açúcar".

Como para nomes não tenho boa memória, não me recordo do nome de quase nenhuma personagem. Quer dizer, acho que existia um Dylan! E havia outro gajito, bom comó milho, que era moreno e de olhos claros e penso que tinha uma irmã gémea, a Brenda! Alguém sabe o nome da personagem deste giraço? Céus que perdição!

E as girls, giras e sexys para a época. Vejam lá se não se identificam com a roupagem! Uma classe, não! Alguém se lembra da série Beverly Hills 90210?


quinta-feira, 10 de outubro de 2013

Politiquices ou Idiotices?

Depois de ter escrito que a maior arma do ser humano era o conhecimento e um comentador me ter alertado para a supremacia do dinheiro, que claro, se sobrepõe a tudo, não resisto em partilhar isto:

Photo 

Meus amigos, o poder é algo mesmo muito poderoso! Mas dizer estas barbaridades! Pior é que não foram só estas! Sinceramente é mesmo de quem está lá no alto e não tem nenhum conhecimento, absoluta ignorância da realidade envolvente!

Acho que toda a máquina governativa precisa é de uma valente reciclagem! Que descrédito! Aí, Passos, estavas tão bem caladinho! Fazias melhor figura!

Teoria Estouvada #8

Esta teoria é resultado da minha pequena experiência de vida, daquilo que sou, daquilo que vou assimilando, daquilo que vou compreendendo, de toda a minha formação enquanto ser humano, enquanto pessoa. Então cá vai mais uma teoria estouvada:

A maior arma do ser humano é o conhecimento.

Podem-nos tirar tudo, aumentar impostos, perdermos o direito ao emprego, perdermos os nossos bens materiais, perdermos pessoas queridas. Enfim, roubarem-nos a dignidade, roubarem-nos o simples direito de sonhar, mas jamais nos podem roubar o conhecimento.

Agora um comentário de professora (mas isto não se aplica só a esta classe mas a todos aqueles que se vêem lesados na sua dignidade enquanto seres humanos por toda esta conjuntura económica):

Se somos um das gerações mais bem formadas, e isso não tenho dúvidas e como se assiste a uma morte lenta do ensino público, a uma contínua desvalorização da escola pública pois o que era acessível a todos vai deixar de o ser, de uma coisa eu tenha a certeza, posso não ter dinheiro para pagar uma escola privada aos meus filhos mas certamente tenho o conhecimento para os ensinar!

quarta-feira, 9 de outubro de 2013

Ansiedade

Este é um sentimento que sentimos em diversas situações. Quando temos medo, quando existe incerteza, insegurança e ainda a possibilidade de mudança, sem saber as consequências, boas ou más.

Por exemplo, quando estamos à espera de algo mau, às vezes, nós mulheres, até o conseguimos pressentir. Então a ansiedade aumenta e quando esse algo mau acontece a desilusão e frustração é enorme. Às vezes preferia não ter este sexto sentido.

Outra situação que me ocorre é quando alguém que nos é querido está a passar por uma situação mais complicada e nós queremos que essa pessoa saía bem dessa situação porque da felicidade dela também depende a nossa. É um verdadeiro novelo de lã! Um emaranhado de sentimentos!

E a reacção do organismo? Coração a bater forte, mãos trémulas, por vezes, boca seca e voltas e mais voltas da tripa. Claro que estas últimas só em situações mais crassas.  Bem que podíamos controlar estas coisas, não era?

terça-feira, 8 de outubro de 2013

Argumentos da Pequena

A Carolina estava em casa a brincar com a avó. Entretanto a avó disse-lhe:
- Bem, tenho de ir embora!
- Não vais não! Fica aqui tomigo! - respondeu-lhe a Carolina
- Tenho mesmo de ir embora é que o avô está sozinho em casa e está a chorar.
- O avó, o avô está sozinho em casa mas não está a chorar!

Moral da história: não vale a pena tentar enganar crianças pequeninas (de dois anos e pouco, neste caso), elas são mais perspicazes que nós!

segunda-feira, 7 de outubro de 2013

Dor de Corno

Hoje apeteceu-me escrever sobre isto até porque o corno (desculpem lá o português calão) é sempre, sempre o último a saber!

E não estou a falar só de uma traição entre marido e mulher. Esta dor de corno pode ser uma traição de um colega de trabalho, um embuste de amigos próximos, a perda de confiança por alguém... E poderia continuar por aí adiante.

Ser o último a saber, ser o último a perceber, ser o único que ainda não tinha visto é realmente tramado! E depois? O que fazer com a dor de corno?

Ignorá-la, maltratá-la, espezinhá-la ou deixar apenas o tempo passar, que este se encarregará de amenizar tudo? Será? Às vezes apetece mesmo é explodir, deitar cá para fora o que nos apetece mas o bom senso diz-nos que não, que é melhor aguardar...

Por isso se algum dia tiveres dor de corno, respira fundo e deixa o tempo passar. Reflecte, pensa e repensa e verás tudo com mais sapiência.

sábado, 5 de outubro de 2013

Quem diz a verdade...

Ora bem, esta saiu da conversa com uma amiga que tem dois filhotes. Estava ela a contar que foi de férias e deixou os seus animais de estimação (cão e gata Chiquinha) e o seu pai (avô dos dos miúdos) em casa.

A certa altura, um dos filhos, durante as férias disse à mãe:
- Aí, tenho tantas saudades da Chiquinha!
A mãe para o embaraçar perguntou:
- E do avô não?
- Ah, sim, também!

Por isso quem diz a verdade não merece castigo!

sexta-feira, 4 de outubro de 2013

Alguém se lembra disto?#27

Dizem por aí que recordar é viver! E como eu gosto muito de viver, cá vai:

Malta dos anos 80 e não só (não sei porquê adoro o ano desta colheita!), existe por aí alguém que fez colecção de porta-chaves?

Lembro-me que havia deles aos montes, saía em tudo o que era brindes e a malta adorava juntar uma série deles e guardá-los religiosamente.

Aqui ficam umas fotos:




Ao olhar para elas cheiram  mesmo a antigo! Foram mesmo retiradas do fundo do baú! É com cada relíquia!

quinta-feira, 3 de outubro de 2013

Teoria Estouvada #7

Apesar de todos os comuns mortais terem os seus problemas. Isto é o que vou constatando, que toda a gente tem problemas, uns em maior grau, outros em menor. Eles são de diferentes índoles mas estão lá para serem resolvidos! Mas todo o ser humano tem um único objectivo nesta vida, na sua essência mais pura, que é o de ser feliz.

O objectivo primordial do ser humano é ser feliz!

Se sei dizer o que é a felicidade? Se sei defini-la? Não! Compete a cada um de nós, encontrá-la, ela está dentro de nós. Para a encontrarmos tem de haver paz de espírito, tranquilidade, serenidade, tolerância, bondade, entendimento...

quarta-feira, 2 de outubro de 2013

Felicidade

O importante é acreditar num futuro melhor.
Ter a esperança que dias melhores virão.
Sorrir para a vida mesmo que ela nos sorria pouco.
Agradecer tudo o que temos.
Rir muito.
Chorar pouco.
Não desleixar amizades.
Não desprezar o próximo.
Não complicar.
Continuar a sonhar.
E procurar muito.
Lutar muito.
Pela felicidade....

terça-feira, 1 de outubro de 2013

Eleições Autárquicas

Não resisto em fazer um comentário relativo a esta temática, apesar de já tudo ter acontecido. E não é que este ano, não ouvi discursos mirabolantes e desajustados da realidade, em que os vencidos também saíam vencedores de alguma forma.

Vi e ouvi alguma modéstia por parte de quem perdeu, com lágrimas pelo meio. Estarei alucinada ou será um sinal dos tempos?  Também por parte de quem ganhou não vi grande algazarra. Pudera, da maneira em que está o País, ninguém vai fazer milagres!

Ou então estas eleições são raia miúda e não existem aqueles discursos partidários entusiastas e empolgantes em que todos saem vencedores? Deve ser isso... Aguardamos por eles em 2015...Ou não... Sei lá...

Gaiola Dourada

Et voilá, je regarde la Gaiola Dourada! (desculpem lá o meu françuguês). Depois de tanto ler por estas bandas sobre o filme, fiquei com a curiosidade aguçada e pronto vi e gostei. Não sei é se era um filme francês ou português! Pelo menos os actores eram portugueses! Pormenores à parte!

Não sou nenhuma analista de filmes mas posso dizer que o enredo é engraçado, que caracteriza bem os emigrantes, em especial os que estão em França (isto sem nenhum sentido pejorativo). Quem é que nunca presenciou um portuga-francês a falar francês e depois dizer umas asneirolas em português. Não faltou a bejeca aberta com os dentes!

Foi também salientado a bondade dos portugueses e o espírito de ajuda, o facto de serem bons trabalhadores. E adorei os convívios entre os portugas! Quem é que não gosta de uma bom almoço ou jantar em família, cheio de barulho e disparates! Acho que isto também nos caracteriza bem! O espírito de família está muito enraizado em nós.

Não faltaram as cusquices e os mal entendidos! Os amores e desamores! A tradição! As aparências! E no fim de contas, a simplicidade. Posso dizer que não sou nada adepta destes filmes mas este prendeu-me de tal maneira ao ecrã, que só queria saber o fim da história!

Quem ainda não viu, aconselho vivamente a ver, até porque é made in Portugal!

segunda-feira, 30 de setembro de 2013

De pequenino é....

A Carolina vê os livros da escola da prima cá em casa.
Pega neles, abre-os e diz-me:
- Ó mãe, ensina a menina! A menina quê aprender!

Tudo isto porque ela já me viu ajudar a prima nas tarefas escolares mas espero que quando chegar a altura, ela tenha a vontade de aprender que me demonstrou nesta atitude inocente.

sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Num dia cinzento...

Num dia cinzento em que ocorre alternância entre chuva forte, rajadas de vento e um sol tímido a espreitar é mesmo bom receber um telefonema de uma amiga e ouvir a sua voz calorosa e bem-disposta.

E depois é só falar, falar, falar, isto é, desde que não haja interferências! Que bem que sabe! Viva os amigos, que mesmo longe estão tão perto!

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Alguém se lembra disto?#26

Mais umas voltas no baú, vasculhando aqui e ali e encontrei esta magnífica pérola. Alguém se lembra da passagem do escudo para o euro? Claro que sim!

As pessoas faziam contas e mais contas! E para ajudar nesta nova mudança na sociedade portuguesa surgiram diversos instrumentos, nomeadamente máquinas de conversão e algo mais simples como estes cartõezecos:



Então? Uma verdadeira obra de arte, com mudança de cores e tudo! E já agora, sabem há quanto tempo estamos nós com esta moeda de seu nome euro? Lembram-se destes cartões?

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Teoria Estouvada #6

Sei que o que menos se gosta de ler por estas bandas são histórias tristes, chatas e aborrecidas mas pronto, cá vou eu com as minhas filosofias baratas...

Sei que não devemos reclamar da vida, daquilo que temos porque a qualquer momento nos pode ser tirado.
Sei que a distância dói.
Sei que a incerteza do futuro me impede de viver o presente com alegria.
Sei que os tempos são difíceis.
Sei que só se dá valor ao que se tem quando se perde.
Sei que é duro recomeçar, dar  a volta por cima.
Sei o que é estar perdida, sem saber o que fazer.
Sei que é difícil tomar decisões principalmente quando não sabemos o que daí advém.
Sei que quem não passa pelas situações não sabe jamais o sentimento do outro.
Sei, sem margens para dúvidas que:

O ser humano só aprende sofrendo!

terça-feira, 24 de setembro de 2013

Alguém se lembra disto?#25

Virando e revirando o baú, chateando e não chateando familiares e amigos, deixo aqui fotos de uma colecção que quase toda a malta dos anos oitenta fez.

Uma colecção que podia ser colorida ou não, de vários tamanhos e feitos e que cuja finalidade principal seria a de escrever. Estou a falar da colecção de canetas!

Quem é que não desejava ter uma Parker! Digam lá, quem é que nunca coleccionou canetas? Guardando-as em caixas ou chegando mesmo a pendurá-las em fios no quarto ou noutra parte da casa? Pois é, não havia telemóveis, nem consolas, nem essas coisas..







Nota: Esta colecção não me pertence, apenas me foi emprestada para estes recuerdos!

segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Alguém se lembra disto?#24

Olá a todos! E depois de andar uns tempos parada com estes tesourinhos dos anos oitenta, volto à carga com uma fantástico brinquedo rolante e desstressante (funciona ou funcionava para os mais velhos como uma terapia para aliviar o stress).

Havia gente que fazia com este brinquedo as mais loucas malabarices. Devo dizer que eu não era nada habilidosa mas gostava de ver os outros. Ora, estou a falar do roliço iô-iô, pois claro!

E mais giro ainda, era, quando nos calhava na rifa uma prenda destas, mediante uma qualquer publicidade! Aqui fica um para recordar!

E por essas bandas tiveram algum? Divertiam-se com ele nos vosso tempos de meninice ou preferiam ver os outros, como eu?


Não estou bem certa disto que vou dizer mas há uns anos atrás, dois ou três anos, houve uma grande febre pelos iô-iôs no Natal? Eles até esgotaram não foi? Alguém se lembra?

quarta-feira, 18 de setembro de 2013

O Mundo das Pessoas

A minha vida anda um corrupio danado! Não é que tenha acontecido algo de especial, bem que queria mas... o feitiço da bruxa Mimi ainda não fez o efeito desejado...(quando fizer, eu digo)

Vão acontecendo pequenas coisas que me destabilizam, acontecimentos em catadupla que nem sei para onde me virar. Não são todos maus, não. É o ter que tomar decisões, fazer opções rapidamente. É o aqui e agora! É o amanhã! É o abrir a pestana senão passam-te a perna. É o estar sempre alerta. A vida é mesmo uma loucura, não acham?

Na semana passada alguém me disse que nós estamos constantemente a ser testados. Será verdade? Será esta passagem pela Terra um constante teste à nossa maneira de ser e estar com os outros? Com o mundo?

Quem somos? De onde vimos? Qual é a nossa função aqui? Porque nos relacionamos com determinadas pessoas e não com outras? Porque temos, às vezes, a sensação que já estivemos ali, naquele sítio ou que conhecemos aquela pessoa?

segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Piada do Fim de Semana

Esta saiu de uma conversa animada entre amigos. Vamos ver se a sei reproduzir com a fiabilidade que merece. Então cá vai:

Conversa entre dois amigos influentes:
- Ó pá, o meu filho não quer estudar, arranjas-lhe aí um trabalhito?
- Está bem! O que é que queres? Secretário de ministro? Ganha aí uns três mil euros!
- Não pá! Isso é muito! O gajo tem de trabalhar!
- Então pode ser adjunto de ministro? Ganha aí uns dois mil e quinhentos euros!
- Não! O gajo tem de saber dar valor à vida.
- Então diz-me lá que ordenado é que queres que o puto tenha.
- À volta de quinhentos ou seiscentos euros.
- Ui, isso não pode ser!
- Então?
- Para isso tinha de ser licenciado!

Teoria Estouvada #5

Esta é mais uma das coisas que acabo por constatar ao longo da minha existência. Então cá vai uma teoria estouvada:

O mundo não é dos inteligentes, é dos espertos!

sexta-feira, 13 de setembro de 2013

Mundo Real versus Mundo Imaginário

A Carolina está no quarto com a gata cá de casa (de seu nome Xiquinha) e com a sua Popota (o seu boneco para dormir).
Quando saio do quarto, a miúda está a agarrar-se à gata e à boneca.
Passado um bocado, acho estranho estar tudo em silêncio e pergunto:
- Carolina, onde estás?
- Tou aqui no quato com a Popota e a Xiquinha!
Depois oiço a miúda dizer:
- Ó Popota não tenhas medo!

quinta-feira, 12 de setembro de 2013

Observações Pertinentes

Hoje de manhã, a Carolina agarrou-me num bocado de cabelo e perguntou:
- Mãe, quem é este cabelo?
- É meu filha! - respondi eu.
- Puseste pinturas no cabelo?
Nem consegui responder, comecei logo a rir e ela também!

quarta-feira, 11 de setembro de 2013

Sinceridade

Sempre fui ao longo da minha existência, uma adepta incondicional da sinceridade. Não uma sinceridade de ofender o outro, de o magoar mas sim uma sinceridade relacionada com a amizade: ser honesto para com os outros, com os quais convives diariamente ou quase.

Sei que numa certa fase da minha vida tive até uma sinceridade estouvada: dizia o que sentia, o que pensava. Era tudo posto cá para fora de uma forma irreverente, até mesmo exaltada e tresloucada.

Claro que isto com a idade, com a experiência de vida foi  mudando. Hoje sou uma pessoa uma pouco mais moderada. Tento não dizer coisas que sei que vão magoar fortemente as pessoas. Não sou perfeita não! Também erro. Mas se dou conta do erro, tenho a humildade de pedir desculpas.

O que mais me chateia nisto da sinceridade é farejar situações (não há dúvida que nós mulheres temos um sexto sentido apuradíssimo) e descobrir por terceiros que fui ludibriada por pessoas que eu considerava amigas/os verdadeiros. É triste! Detesto pessoas que mudam consoante os interesses, que mudam consoante a direcção do vento que lhes der.

Para dizer a verdade, já me chateou mais, o primeiro embate é o mais forte! Mas, como dizia uma velha amiga:

Uns vão, outros virão!

terça-feira, 10 de setembro de 2013

Segredinhos

A minha piquena sabe que a sua mãe gosta de comer um bocadinho de chocolate com o café em casa da avó. Então, quando se apercebe das movimentações para tal, vai ter com a avó com pezinhos de lã e pede-lhe em sussurro:
- Avó quéo chocolate! Quéo chocolate avó! Xiuuuuuuu! (colocando o dedito à frente da boca)
Olhem-me só a esperteza desta pirralha!!!!

segunda-feira, 9 de setembro de 2013

Aveiro Night Runners

Já não corria à bué da time mas meti-me nesta louca aventura de correr nesta cidade fantástica de seu nome Aveiro. Uma cidade pequena e acolhedora. A iniciativa foi levada a cabo por uma grupo de desportistas amadores e como não havia uma inscrição obrigatória foi solicitado às pessoas para darem o que quisessem em detrimento dos bombeiros cá do sítio.

A corrida! Aguentei bem os seis primeiros quilómetros, os últimos dois (eram oito quilómetros no total) foram dolorosos mas o mais importante foi não desistir apesar de ir quase no fim do pelotão. Gosto mesmo de sentir o corpo a esforçar-se. É só mais um bocadinho! Está quase! Claro que estive em excelente companhia que não parava de me dar apoio moral. Como nunca tinha corrido com tanta gente à mistura, adorei! E com toda a certeza, hei-de repetir!

Concentração: no Fórum Aveiro! E não faltaram exercícios de aquecimento!


 A partida desenfreada pela cidade. Estava tudo louco!
Eu estou por aí! ;-)


A corrida junto à ria! Respirar ar puro e apreciar o anoitecer!


Não é linda esta cidade?



Também houve uma caminhada de quatro quilómetros! E pelo que me apercebi a passada era larga!
O que interessa é mexer o rabo e não ficar sentado no sofá!
Fico à espera de mais iniciativas!

Deixo o link do facebook para quem quiser saber mais!

sexta-feira, 6 de setembro de 2013

Sweet Lorraine

Não resisto a uma boa história de amor! Sou mesmo uma lamechas! Enfim, sou assim e acho que já não mudo!

Então cá vai meus caros: um senhor chamado Fred de 96 anos de idade, que viveu com a sua esposa durante 75 anos, após a morte da sua companheira de vida sentou-se na sua sala sozinho e começou a escrever. Um texto dedicado à sua mulher! À posteriori  viu um concurso televisivo para fazer uma canção, escreveu para lá e eis o resultado:


Tem sido um fenómeno no youtube. Fiquei com a lagrimita no canto do olho. Isto prova que tudo o que é feito com sentimento dá certo. Adorei!

Aliás, é fantástico estas histórias de amor, de companheirismo, de dedicação e saudade! Espero um dia chegar a estes patamares! Fabuloso!

quinta-feira, 5 de setembro de 2013

Alguém se lembra disto? #23

Isto tem andado deveras desactualizado! Ando a preparar algumas surpresas para compensar! Para já deixo-vos com a recordação de mais uma série.

Alguém se lembra do Barco do Amor! The Love Boat? Um série com personagens caricatas e divertidas e enredos amorosos? Gostava muito de a ver mas sinceramente não me lembro do nome de nenhuma das personagens, apenas me recordo da fisionomia! E os penteados da época, eram demais!

Welcome aboard!



Sorrir

O sorriso é um estado de alma, um estado de espírito, um estado que devia estar constantemente presente nas nossas vidas.

Admiro pessoas que estão sempre bem-dispostas, alegres, sorridentes mesmo que a vida não lhes esteja a correr de feição.
Admiro pessoas que sorriem para outras sem quererem nada em troca.
Admiro pessoas que conseguem contagiar as outras com a sua simpatia.
Admiro pessoas que não se deixam ir abaixo.
Admiro pessoas que se dão aos outros.
Admiro pessoas que sorriem constantemente ainda que os olhos denunciem tristeza.

Por isso, viva a Alegria, que nos contagie o corpo, a alma e os que nos rodeiam!
Sorria para o Mundo que ele lhe sorrirá também!

quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Visita a Arrifana

E para continuar a partilhar o bom do nosso Portugal, deixo-vos umas fotos de praias e paisagens de Arrifana. Se cometer alguma incoerência com nomes de locais e afins, por favor rectifiquem...

Praia de Arrifana

 Diferentes paisagens lá do alto, junto à dita praia


Miradouro de Arrifana

 Diferentes vistas do Miradouro


 

Praia da Amoreira

E posto isto, só posso dizer que a Costa Vicentina é linda, sempre com tanto para explorar, para descobrir, para desfrutar, para abraçar e acima de tudo, para proteger e preservar. Aproveitemos o que de melhor tem o nosso País. 

Sempre que vou ao sul do País, com especial ênfase ao Alentejo e também Algarve (mas desde que a miúda nasceu que me fico pelo Alentejo por considerar o calor do Algarve demasiado tórrido para a minha piquena) fico sempre com vontade de voltar e conhecer mais e mais!